Blog

Lean Manufacturing - Os 4 Pilares da Excelência Operacional

Na jornada pela busca e sustentação da Excelência Operacional, o foco não deve ser apenas na redução de custos, pois somente isto não irá alavancar os resultados necessários para se alcançar e sustentar um estado de alta performance rumo à Excelência Operacional. Vejamos então os 4 Pilares da Excelência Operacional:

Pilar 1 – FILOSOFIA: “É a base fundamental para todos os demais pilares”

Princípio Associado:

  1. “Focar decisões balizadas pela filosofia de Longo Prazo, ainda que em detrimento de Metas Financeiras de Curto Prazo.”

O Problema:

Atuando em um cenário político e econômico global extremamente conturbado, as empresas hoje têm que assegurar um sentido filosófico de propósito em suas tomadas de decisões a fim de perenizar a sua existência, focando na criação de valor não apenas para o cliente, mas para a sociedade e a economia nos diversos países onde atuam.

A Solução:

Liderar pelo exemplo é um fato exigido na formação de líderes lean, assim como a aceitar a responsabilidade por sua conduta.

Todos os funcionários devem ser desafiados constantemente a manter e aprimorar as habilidades para uma maior agregação de valor ao cliente, sociedade e economia.

Se as iniciativas de melhorias em sua empresa são focadas principalmente em resultados de curto prazo, sem pelo menos uma avaliação de longo prazo quanto aos potenciais “efeitos colaterais”, atenção! “O molho pode sair mais caro que o peixe!”, portanto, “amplie” a sua visão dos negócios.

O imediatismo, que nos leva muitas vezes focar apenas nas consequências e não necessariamente nas causas raízes, e/ou a falta de uma visão mais abrangente do tema em questão, podem “minar” o caminho da tomada de decisão, “plantando” armadilhas que num futuro próximo poderão comprometer seriamente o atingimento dos resultados planejados. Um sistema de gestão adequado baseado em um processo sistêmico de análise e solução de problemas estruturado é a chave para evitar estas “armadilhas”.

Pilar 2 - PROCESSOS: “O Processo Correto Produzirá os Resultados Corretos”

Princípios Associados:

  1. “Crie fluxo contínuo no processo para que os problemas sejam revelados”;
  2. “Evite empurrar, puxar é melhor pois evita a criação de excedentes”;
  3. “Estabeleça o melhor balanceamento possível no fluxo dos processos, com ritmo adequado às necessidades dos clientes”;
  4. “Construa a mentalidade de parar e solucionar problemas, com foco em fazer certo da primeira vez”;
  5. “Defina padrões para os processos, eles são a base para a melhoria contínua e o desenvolvimento das pessoas”;
  6. “Implemente Gestão à Vista para expor os problemas e possibilitar rápida e eficaz solução de problemas”;
  7. “Utilize apenas tecnologias testadas e confiáveis para facilitar processos e pessoas”;

O Problema:

As empresas independentemente de porte ou segmento de atuação no mercado, padecem quase que dos mesmos males quanto aos seus processos administrativos, financeiros, operacionais, técnicos, logísticos, etc... ou seja, as instabilidades no fluxo de informações/dados associada à interrupções no fluxo de materiais em seus processos levam ao não cumprimento dos prazos de entrega e qualidade especificados pelos clientes tendo como consequência resultados financeiros desalinhados com as metas planejadas.

A Solução:

Os processos têm por finalidade assegurar a geração e entrega contínua do valor percebido pelos clientes nos serviços/produtos, o que pressupõe um perfeito entendimento do que seja valor para o cliente, o que nem sempre acontece.

É fundamental concentrar esforços e recursos em agregar “continuamente” valor para os clientes internos e externos, ou seja, “transformar” dados/informações em serviços para os clientes necessitam, ou “transformar” peças/componentes em produtos demandados pelos clientes.

O “robustecimento” dos processos no sentido de eliminar suas variações intrínsecas e o princípio de agregar valor em todas as áreas da organização são fatores essenciais para assegurar o atendimento à demanda e alcançando os resultados financeiros planejados.

Pilar 3 - PESSOAS E PARCEIROS: “Agregue valor à organização através do desenvolvimento das pessoas e parceiros”

Princípios Associados:

  1.  
  2.  
  3.  
    1. “Desenvolva líderes em todos os níveis hierárquicos da organização que conheçam profundamente o trabalho, a Filosofia da empresa e que sejam capazes de ensinar isso aos outros”;
    2. “Desenvolva pessoas e equipes excepcionais que sigam a Filosofia da empresa”;
    3. “Desafie e ajude a desenvolver os seus fornecedores de materiais e prestadores de serviços”;

O Problema:

Não é raro encontrar empresas focando suas jornadas de Excelência Operacional em melhorar “coisas”, relegando a um plano secundário o desenvolvimento das “pessoas”, o que leva a uma situação de instabilidade tal, que o efeito obtido é o de “dente de serra” (melhora, piora, melhora, piora...), por falta de sustentação dos resultados obtidos, cuja base são as pessoas.

A Solução:

Diagnosticar as necessidades dos líderes em todos os níveis hierárquicos focadas nas dificuldades de gestão, definindo e implementando ações de melhorias centradas em fundamentos, conceitos e metodologias lean constitui um ponto fundamental.

Outro aspecto crítico é a mudança de comportamento da liderança, pois sempre há em jogo incontáveis “paradigmas”, que entendemos como: “verdades verdadeiras que não são tão verdades assim”, que devem ser rompidos; além disso, se necessitamos obter “resultados diferentes”, temos que fazer “coisas diferentes” para não gerar um círculo vicioso.

Com respeito a desafiar e desenvolver os parceiros da sua empresa (fornecedores de materiais e prestadores de serviços), a questão será como trata-los bem seja nos momentos bons, como nos momentos de crise.

Outra medida importante é estabelecer metas para os seus parceiros e ajuda-los a atingir.

Pilar 4 – SOLUÇÃO DE PROBLEMAS: “A solução contínua de problemas em suas causas raízes impulsiona a aprendizagem organizacional”

Princípios Associados:

  1.  
    1. “Vá pessoalmente ao Gemba ver e entender a situação”;
    2. “Tome decisões consensualmente ainda que demorado, considerando os distintos pontos de vista, e depois, implemente rapidamente”;
    3. “Torne-se uma organização que evolui com base nas reflexões sobre as lições aprendidas com os erros cometidos (“Hansei”), e através da melhoria contínua (Kaizen)”;

O Problema:

O “apaga-incêndio” na maioria das empresas em seu dia a dia leva a uma situação de “mesmice” onde “soluções conhecidas” são aplicadas de forma eficiente, mas não eficaz, pois as soluções conhecidas são para problemas conhecidos, e estes são conhecidos porque sempre se repetem, demonstrando que as causas raízes ainda não foram identificadas e/ou tratadas adequadamente.

Os problemas são frequentemente resolvidos com foco em um escopo por vezes muito restrito, deixando escapar análises importantes não consideradas que certamente implicará em problemas potenciais para outros processos.

A Solução:

A sistematização do processo de análise e solução de problemas é fator fundamental para o processo de melhoria contínua em busca da Excelência Operacional.

Isto significa que devemos implementar um conjunto de ferramentas confiáveis e comprovadas para a solução de problemas no dia a dia.

Um conjunto de ferramentas é condição necessária, mas não suficiente para o sucesso de um sistema de Análise de Solução de Problemas. Há que se definir e implementar rotinas padronizadas, que definirão regras e alcance das atividades correlatas, para assegurar a melhoria contínua e a sustentação dos resultados.

Em resumo:

Os 4 Pilares da Excelência Operacional e seus 14 Princípios Associados descritos neste artigo constituem a base para se alcançar e sustentar um Estado de Alta Performance em qualquer empresa.

A tentação de implementar “modularmente” as soluções exemplificadas pode levar a uma situação insatisfatória quanto aos resultados financeiros e operacionais. A ideia é promover uma implementação metódica e efetiva, o que inicialmente pode requerer algum suporte externo de especialistas no assunto.

Os profissionais da WCBM Consultoria Empresarial Ltda. possuem mais de 20 anos de experiência como executivos na indústria, seguidos de 15 anos em consultoria, e já ultrapassaram a marca de 1.000 projetos de base lean com foco em Qualidade, Entrega, Custo, tanto em nível estratégico como tático, implementados em mais de 200 empresas na América do Sul, América Central, América do Norte, Europa e África do Sul.

Caso queira discutir algum tema deste artigo, fale conosco sem compromisso.

Washington Kusabara

Sócio Diretor e Consultor

Fale Conosco